62 3932-0242 I 62 3941-0292 WhatsApp: 62 99393-0202

Atendimento em horário comercial (Seg. a Sex)

Daltonismo

Essa é uma condição que pode ser herdada apenas da mãe, pois ocorre pela transmissão de uma lesão no cromossomo X.

O termo técnico usado para descrever o daltonismo é a discromatopsia e sua limitação está relacionada às três cores básicas: azul, amarelo e vermelho.

Os tipos de daltonismo são classificados, de maneira geral, nas categorias acromático, dicromático e tricomático; ou de acordo com as cores por ele afetadas. Acompanhe a seguir:

Acromático
No daltonismo acromático (também conhecido como monocromacia), a pessoa não enxerga cor alguma além de preto, branco e cinza. Vale lembrar que, apesar de apresentar a condição mais comprometedora, esse tipo de distúrbio é raríssimo.

Dicromático
No tipo dicromático, o portador da deficiência não possui um dos cones receptores. Nesse caso, não consegue reconhecer vermelho, verde ou azul.

Tricromático
Esse é o tipo mais comum. No daltonismo tricromático, a pessoa tem todos os receptores, porém algum (ou alguns) deles apresenta disfunção. Dessa forma, a percepção de cores varia de acordo com a deficiência manifestada em cada caso.

Classificação por cores
Também é possível identificar o distúrbio da visão de acordo com as cores por ele afetadas. Sendo assim, classifica-se da seguinte forma:

Protanopia: diminuição ou ausência do pigmento vermelho;
Deuteranopia: diminuição ou ausência do pigmento verde;
Tritanopia: dificuldade para enxergar tons de azul e amarelo.

Não existe tratamento para o daltonismo, nem qualquer outra forma de curá-lo. No entanto, algumas soluções visam minimizar o seu impacto no dia a dia do paciente. Lentes de contato com filtros de cor, por exemplo, não corrigem, mas melhoram o reconhecimento de cores para portadores do distúrbio.

Caso o paciente se interesse por esse tipo de lente — adaptada aos óculos de grau, de sol, ou a lentes de contato — deverá consultar um oftalmologista. Somente o especialista poderá prescrevê-la, conforme o diagnóstico da saúde ocular do paciente.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Add Comment *

Name *

Email *

Website

X